Review: Burned (Fever #7) - Karen Marie Moning

quarta-feira, fevereiro 18, 2015
Série: Fever #7
Idioma: Inglês
Editora: Delacorte Press
Lançamento: Janeiro de 2015
Páginas: 431
Gênero: Adulto; Fantasia; Romance.
Onde Comprar: e-book amazon br
É fácil de se afastar de mentiras. Poder é outra coisa. MacKayla Lane, faria qualquer coisa para salvar a cidade que ela ama. Uma dotada sidhe-seer, ela já lutou e derrotou o Sinsar Dubh - um livro antigo que contém um mal terrível - contudo o seu poder sobre ela nunca foi tão forte. 
Quando o muro que protegia os seres humanos dos seduteres e insaciáveis Faes foi destruído no Dia das Bruxas, Imortais já há muito tempo presos, devastaram o planeta. Agora Dublin é uma zona de guerra com facções lutando pelo o controle. A medida que a cidade se aquece e o gelo deixado pelo o Hoar Frost King derrete, os ânimos se exaltam, paixões ficam a flor da pele, e linhas perigosas se cruzam. Unseelie e Seelie disputam o poder contra nove antigos imortais que têm governado Dublin há milênios; um grupo rival de sidhe-seers invade a cidade, determinado a reivindicá-la para si. 
Dani "mega" O'Malley previamente protegida e melhor amiga de Mac, agora é a sua feroz inimiga; e ainda mais o importante, o Highland druida Christian MacKeltar foi capturado pelo o Crimson Hag e está sendo cedendo a loucura dos Unseelie a cada dia que passa. O único que Mac pode contar é o poderoso e perigoso imortal Jericho Barrons, mas mesmo esse vínculo forte será testadado pela traição. É um mundo onde permanecer vivo é uma luta constante, em que a linha entre o bem e o mal fica embaçada, e toda a aliança vem com um preço. Em uma batalha épica contra forças obscuras, Mac precisa decidir em quem ela poderá confiar, e a que preço valerá a sua sobrevivência.
Burned, o sétimo livro da série Fever, traz de volta a Mac e o Barrons como protagonistas juntamente com a Dani. O que eu realmente achei ótimo, porque estava sentido falta dos dois. Sofri quando dei adeus aos dois em Shadowfever, pois pensei que ali seria o fim deles pra sempre. 

Quem acompanha a série, sabe que a Karen Marie Moning ia fechar a série Fever pelo o ponto de vista da Mac no 5º e depois continua-la pelo o ponto de vista da Dani. Mas não, ela escreveu o 6º pelo o ponto de vista unicamente da Dani, mas agora no sétimo ela resolveu mudar as coisas e juntar não só o ponto de vista da Mac mas como também o de outros personagens. Por um lado achei isso ótimo porque não abriu a nossa visão sobre tudo e todos, mas ao mesmo tempo, agora também são muitos personagens principais. Tinhas horas que eu já nem sabia mais pra que linha seguir. Como por exemplo, ficar ou não contra a Jada tendo em vista que ela é uma espécie de "inimiga"!? Isso ficou meio complicado de administrar.

Pra quem não sabe, Fever conta uma história de fantasia centrada em Faes, humanos e a guerra gerada pela a vontade dos faes de invadiram a realidade humana. Mas acredito que essa resenha aqui só irá funcionar pra quem acompanha a série. Se você ainda não leu, se faça um favor e vá ler Darkfever. Se quiserem mais detalhes, confira esse post.
Em Burned eu confesso que fiquei um pouco perdida algumas vezes. Como eu não tive vontade de ler Iced (6º livro) porque era sobre a Dani e eu nunca tive muito interesse na história dela, eu acabei não lendo, logo perdi algumas partes da história, mas também nada que tenha me feito grande falta.

A história é basicamente contada pelo o ponto de vista da Mac e da Dani, mas principalmente da Mac. Tem uma ótima novidade em relação a Dani e inclusive nesse livro também aprendemos mais sobre ela e sobre a relação dela com os "The Nine".

Em relação a Mac e o Barrons, nós descobrimos a razão do porque eles ficaram  ausentes dos eventos do livro passado e como a Mac vem lidando com o fato de ter o Sinsar Dubh dentro dela e como isso vem afetando a sua vida.

Em relação ao romance dela com o Barrons, eu fiquei um pouco decepcionada. Obviamente que ao longo da série nós nunca tivemos muitas cenas centradas unicamente no relacionamento deles, mas imaginei que agora que eles estão oficialmente juntos, que nós teríamos mais cenas "amorzinho". Não foi esse caso. Não sei se é porque a KMM realmente não gosta muito de focar nesse aspecto ou se é porque é da própria natureza dos dois, mas é fato que não teve muita coisa. Sinceramente, eu já estou chegando a conclusão de que o Barrons intimida até a KMM, porque ela por vezes se coloca omissa em relação a ele e ao casal.
"Eu sou obcecada, viciada, e completamente apaixonada por Jericho Barrons. Mas é claro que eu não falo nada disso pra ele, Barrons não é o tipo de cara que tem conversas de travesseiro. Dormir com ele e assumir os nossos sentimentos um pelo o outro, mudou tudo. E nada. Na cama, somos um casal. Fora dela, somos outro." - Mac
Na realidade, os dois estavam inclusive lidando com alguns problemas. Mas os dois continuam da mesma forma que eram antes. Principalmente o Barrons no quesito "ações valem mais do que mil palavras". Ele ainda é o mistério em pessoa e eu ainda continuo morrendo pra saber a intensidade dos sentimentos dele pela a Mac. Ele só dá vestígios.
"O que eu sei, irmão, é que você quebra todas as malditas regras pela a Mac."
"Como você também, Ry. A diferença é que eu te ajudo a fazer isso."

"Lor nunca foi Pri-ya." Ryodan balança a cabeça em desgosto. " A princesa não pode nos transformar. Filha da mãe, o trazeiro da Mac -"

"É meu," Barrons diz calmamente. "Você jamais chegará lá. Se tiver um problema com a Mac, você resolverá comigo. Eu sou o escudo dela, eu sou como a sua segunda maldita pele.
E nesse livro eles vão ter que se juntar aos outros pra tentar deter o mal que está por vir. Em relação a Dani e o Ryodan, eu não sei como eles eram no livro passado, apenas que nada de fato aconteceu. O que eu sei é que nesse livro eles dão tipo uns dois passos pra frente o que confesso ter me deixado um pouco surpresa. Mas não se preocupem, porque o que antes fazia as coisas parecerem estranhas, hoje não é mais. 

Em relação a Jada - novo personagem introduzido - eu tive uma relação de amor e ódio. No fim, cheguei a conclusão de que gosto, mas ela me fez passar raiva. Mas quem que não curte uma garota ao estilo bad-ass!? E o Lor! Ahhhh o Lor!!! Quero mais dele! As partes centradas nele foram bem engraçadas e bem excitantes. ;) Quero conhece-lo mais!

Agora, sendo bem sincera, achei esse livro por vezes bem parado. Era como se nada tivesse realmente acontecendo e tudo que estava sendo narrado era pra encher linguiça. Ação nesse livro foi pouca.  Achei ele ótimo em matéria de esclarecimentos. Muitas coisas que antes me questionava, hoje eu tenho respostas. Mas tirando isso, e as saudades que pude matar do Barrons e da Mac, não tiveram muitas outras coisas pra me entreter. Não sei se a culpa foi minha por ter depositado muitas expectativas, mas realmente esperava mais. Ansiosa pelo o 8º? Absolutamente! Fever - ou melhor Mac e Barrons - são como um vício pra mim. Nunca é suficiente.
Tecnologia do Blogger.