Review: Dear Aaron - Mariana Zapata

Editora: Independente
Língua: Inglês
Páginas: 500
Gênero: Romance, Contemporâneo,  Adulto.
Lançamento: Junho de 2017
E-book - Amazon BR

Ruby Santos sabia exatamente no que estava se metendo quando se inscreveu em um programa para escrever para um soldado no exterior. 

As diretrizes eram simples: uma carta ou e-mail por semana pelo o período em que ele ficasse afastado em serviço na guerra. 

Pacotes com algumas necessidades eram opcionais.
Como ela já havia feito isso antes, pensou que sabia o que esperar. 

Mas o que ela não contava, era que se apaixonaria pelo o cara.
Não é segredo que eu sou apaixonada pelo os livros da Mariana Zapata, né?! Quem segue o meu blog, sabe que eu leio tudo dessa mulher e pra mim ela simplesmente trabalha com uma fórmula que não tem como dar errado. Ela constrói as suas histórias com calma, pavimenta o terreno e em cima disso ela vai desenvolvendo um romance bem gradual, normalmente tornando-se um slow burn delicioso de se acompanhar. E no caso de 'Dear Aaron', não foi diferente. Inclusive, até achei que o slow burn foi slow até demais. No entanto, o que achei diferente e o que chamou mais a atenção foi a forma com a qual o livro começou e foi se desenvolvendo.

De fato, ele lembra um pouco 'Dear John (Querido John)' do Nicholas Sparks, não só pelo o nome, mas também pela a questão da troca de cartas em meio a guerra, mas as semelhanças param por ai, porque o romance entre a Ruby e o Aaron desenvolve-se bem diferente. 
Caro Aaron, meu nome é Ruby Santos, e eu sou a sua nova parceira do FAS (Fundação Ajude um Soldado). 
Ambos se conhecem através de cartas. O Aaron é um soldado que está afastado em serviço militar e um dia ele recebe uma carta da Ruby que participa de um programa em que você escreve e-mails ou cartas para soldados que você não conhece afim de que eles não se sintam sozinhos e também tenham algum tipo de conexão com pessoas do mundo exterior.
Solidão mesmo quando você está cercada por outras pessoas, é algo que eu entendo bem.
A Ruby está nos EU e já participou desse programa algumas vezes, mas diferente das vezes anteriores, ela não fazia ideia de que conheceria o cara mais incrível do mundo e que se apaixonaria perdidamente por ele. O problema é que a Ruby sabe que não faz o tipo do Aaron e que ele jamais a olharia com outros olhos e assim, ela se contenta em ser apenas uma grande amiga.
De todos os homens do mundo que eu poderia estar louca de paixão, eu tinha que estar apaixonada logo por aquele que me via apenas como algo que eu não queria de ser.
O romance deles é muito fofo. Começa através de dois desconhecidos trocando e-mails sobre coisas superficiais, pra logo em seguida começarem a escrever sobre as suas vidas pessoais, famílias, sonhos, experiencias e etc... Ambos se veem dando conselhos e força um para o outro e logo eles se tornam grandes amigos. Coisa que até então nunca havia acontecido para nenhum deles. Sem nunca terem trocados fotos e saber como se parecem, eles acabam virando a rocha um do outro e quando menos percebem, sem apaixonam sem que o outro saiba. Esses momentos foram muito gostosos de acompanhar, principalmente porque eles se apaixonam por quem eles são e não por beleza ou qualquer coisa do tipo, então a base do relacionamento deles acaba se tornando bem sólida.
Você é a minha Ruby e já tem sido por um bom tempo.
Mas embora eu tenha achado o conceito do livro muito interessante e promissor, confesso que tive dois pequenos problemas com essa história, problemas dos quais me impediram de dar 5 estrelas para 'Dear Aaron'.

O primeiro e o principal dele foi o fato de o livro ter ficado muito tempo em formato apenas de e-mails. Até a metade do livro, a Mariana o desenvolveu apenas em forma de e-mail trocado entre os dois. A princípio eu achei interessante porque em essência o que nós realmente queremos ver são as trocas entre os dois e não o que eles fizeram durante o dia ou coisa do tipo... E como nós íamos conhecendo os personagens a medida em que eles também iam se conhecendo, isso funcionou bem para mim. O meu único problema foi que esse formato se prolongou por tempo demais. Acho que a Mariana poderia ter resumido um pouco mais algumas coisas, antecipado o encontro e a partir daí trabalhado com alguns  pequenos dramas pra dar um pouco mais de angústia e ansiedade ao leitor.
A beleza desaparece, mas uma boa personalidade e química não.
Claro, a expectativa de finalmente ver o encontro dos dois é o que impulsiona o leitor a continuar lendo os e-mails e isso foi ótimo e desenvolvido perfeitamente, só acho que poderia ter sido um pouco antes, porque chegou uma hora que a coisa toda começou a ficar um pouco cansativa. E depois desse momento, eu achei que a parte em que eles já estão cara a cara e se conhecendo realmente, também se desenvolveu muuuuito devagar. Foi uma parte em que ela também poderia ter resumido um pouco mais e até incluído algumas coisinhas pra dar uma sacudida sabe!?

Enfim, ainda assim foi bem legal, mas realmente achei que ele foi lento até demais e olha que eu gosto disso, normalmente esse slow burn é o que mais me prende nas histórias das Mariana, mas dessa vez...

Outra coisa que não funcionou muito para mim foi a personalidade da protagonista. Ela é ótima, gostei dela e simpatizei com a Ruby em vários momentos. O problema é que eu estava lendo um livro de uma mulher de 23/24 anos, mas que mais parecia ter 16. Não foi pela a falta de experiência com homens e de ainda morar com a mãe - tendo em vista que isso nos EU é um tanto incomum, - mas foi pela a inocência exagerada. Era difícil para mim as vezes conciliar a ideia de que estava lendo a história de uma protagonista de 23 anos quando ela mais parecia ser uma adolescente. Não é nem que ela fosse imatura ou coisa do tipo, é só que ela era muito inocente e tinha muita pouca vivência pra idade dela. Não que não exista e que não possa acontecer, é só que em alguns momentos isso me pareceu um pouco forçado.

Enfim, tirando esses fatores, 'Dear Aaron' foi uma ótima leitura. Acho que pelo o fato de já ter lido algumas histórias muito boas da Mariana, acaba que eu fico sempre fica naquela expectativa de ter algo semelhante ou ainda melhor, mas o livro foi bom sim e o recomendo com certeza. Mas pode ser que ele não seja indicado para quem não tem muita paciência. Eu diria que é um romance que vale a pena dar uma chance, tentar chegar pelo o menos até a metade ou até eles se encontram para o leitor realmente ter certeza de que vale a pena continuar ou parar.

4 comentários:

  1. Fiquei com muita vontade de ler porém morrendo de medo de ter um final triste (ao menos pra mim) como "Querido John". Li "Emmi e Leo: A sétima Onda" e confesso que desde então fico emotiva com troca de emails literárias hahaha
    Gostei muito da sua resenha! Com certeza irei ler :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Marina!
      Ah que nada, pode ficar tranquila, esse livro tem final feliz. Ele não termina sem final como o Dear John não.
      Eu também adoro essas trocas de cartas, e-mails e menssagens nos livros. Dá um toque a mais né?!

      Excluir
  2. Estou a procura de mais livros com histórias que tenham militarem no meio rsrsrsrs. Alguma indicação?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Claro! Tá ai até uma boa sugestão de lista de recomendações.
      Bom, esses foram os que li, gostei e recomendo. O problema é que são todos em inglês como o Dear Aaron. Em português o único que me vem em mente é o Querido John que vc já deve ter lido. E mesmo esse eu não achei tão bom.

      Making Faces - Amy Harmon
      Fighting Redemption - Kate McCarthy
      Worth the Fall - Claudia Connor
      Crazy Good - Rachel Robinson
      Unbreak My Heart - Nicole Jacquelyn
      A Beautiful Lie - T.E. Sivec
      First - Kimberly Stedronsky Adams (ainda não li esse, mas tem sendo mto comentado)

      Espero ter ajudado com algum.

      Excluir

Tecnologia do Blogger.